Facelift energético - resignificar vivências, abrir espaço para o novo e rejuvenescer


Apesar de muitas vezes essa terapia estar relacionada ao procedimento estético de rejuvenescimento facial por meio de fios instalados na camada subcutânea do rosto, para promover um efeito lifting e combater a flacidez facial, a ideia aqui é outra.


A única coisa em comum com o método da estética é o efeito de rejuvenescer e de ser realizado no rosto, no mais, a proposta é bem diferente.


A começar por se tratar de uma terapia absolutamente natural, não invasiva, sem qualquer tipo de aplicação de ativos, aparelhos, injeções e nem mesmo cosméticos.


É uma técnica essencialmente energética em que o terapeuta trabalha – restaurando o fluxo natural da energia facial, com reflexos e radiações para o corpo também – por meio de toques suaves no rosto e pescoço da paciente, em pontos que, energeticamente, correspondem a diferentes aspectos da vida e às impressões deixadas pelas experiências que vivemos e que, com o tempo, deram origem às linhas de expressão, marcas, vincos, contornos.


Esses sinais na pele e no tônus muscular são resultados dos registros deixados pelas experiências boas e ruins que vivemos e que influenciaram nossas crenças em relação à autoimagem e sobre como lidamos com as nossas vivências.


Portanto, a ideia central do facelift é, antes de qualquer coisa, desfazer marcas de experiências dolorosas e acabar com algumas teorias que muitas vezes ficam arraigadas na nossa personalidade e se tornam padrão de comportamento.


A partir do momento que essa libertação acontece, é possível resignificar as vivências e abrir espaço para o novo, para que outras possibilidades, positivas, entrem em nossa vida.


Como é a sessão de facelift?


O tratamento – que faz parte de um conjunto de ferramentas do pacote Access Consciousness, como a Barra de Acess, muito conhecida – envolve 27 pontos energéticos que são trabalhados para aliviar o “peso” físico e emocional acumulado ao longo de uma vida.


A partir daí o desafio é trabalhar todo o sistema de crenças e padrões, aliviando tensões emocionais, reativando células estagnadas e revertendo as marcas de envelhecimento, de maneira que, pouco a pouco, aumente a firmeza e o tônus cutâneo, sobretudo no rosto, benefícios que se estendem para algumas regiões do corpo também.


Com algumas sessões já é possível promover uma descarga energética que leva a pessoa a fazer escolhas mais positivas e ir, gradativamente, retirando tudo que é nocivo e inútil do seu cotidiano – assim como os fatores de estresse, em diversos setores da vida – tanto em relação ao envelhecimento, quanto ao amor próprio, a autoestima, ao bem-estar.


Lembra que os pontos trabalhados são justamente para desprogramar, ou melhor, “virar a chavinha” e se desprender das crenças e padrões de comportamento que nos acompanham há muito tempo e que, muitas vezes, nos limitam?


Então, o facelift promove essa limpeza energética, libera espaço para o novo e favorece aquelas mudanças há muito tempo necessárias, facilitando uma nova postura diante da vida, com mais leveza, menos julgamento de si e dos outros.


Mas e a pele? A pele fica mais viçosa, firme e menos marcada, já que as rugas e vincos geralmente são um sintoma de “erros acumulados”.


A partir do momento que esses erros são corrigidos, se é que podemos falar assim, o físico recupera o vigor e a saúde vital – a pele fica mais jovem e aumenta o tônus muscular.


Cada sessão dura em média uma hora, dependendo do estilo de trabalho do terapeuta.


E ao longo do tratamento, geralmente, estima-se que 20 sessões sejam suficientes para realizar o processo proposto na terapia, podendo variar de uma pessoa para outra.


Encontre um terapeuta especializado em Facelift no nosso Guia de Serviços.



⠀⠀⠀⠀⠀

#portalsaudeholisticabrasil