Yoga em casa? Saiba como comprar o tapete ideal


A prática de exercícios físicos em casa já fazia parte do cotidiano de muita gente, e agora, com o isolamento social, podemos dizer, sem exagero, que para a maioria das pessoas se tornou um hábito.


Até mesmo quem não era adepto de alguma atividade acabou se rendendo a uma modalidade, para reduzir os efeitos negativos desse período (atípico), como o sedentarismo e a inércia de ficar em casa. Se exercitar nessa fase é um antídoto para reduzir o estresse, aumentar a produtividade, conseguir relaxar e amenizar o peso do acúmulo de tarefas e, claro, trazer um pouco de qualidade de vida para os dias, cheios de incerteza e ansiedade.


Yoga, campeã das preferências

Sem dúvida, a ideia de fazer uma atividade em casa é saudável, funcional e muito segura, sobretudo em tempos de quarentena, porém exige alguns cuidados, como fazer os movimentos corretamente e não exagerar na solicitação de algumas regiões do corpo, a fim de evitar estiramentos e distensões.


E nessa pegada a Yoga aparece no topo das preferências, entre as modalidades mais acessadas nas plataformas digitais. Os motivos são óbvios. Fazendo atentamente posturas e movimentos corretos, os riscos de algum dano físico é mínimo; a demanda de aulas é grande, já que existem inúmeros aplicativos com orientações de profissionais sérios e comprometidos com a nova versão de aulas online; além, é claro, de ser uma prática que traz equilíbrios físico, psicológico e emocional. O que é um bálsamo para enfrentar tanta instabilidade psicossocial, como a do momento.


No entanto, entre os cuidados com a postura e a realização do movimento físico correto existe um detalhe igualmente importante, para quem vai se dedicar às aulas em casa: encontrar o tapetinho (também conhecido como mat) ideal para tornar a prática mais confortável.


Apesar da Yoga ser originalmente feita no chão, o acessório garante mais conforto e estabilidade, como explica Sandra Regina Paoleschi, professora de Yoga da Cia Athetica Granja Viana, de São Paulo. "A finalidade do uso de tapetes é fazer com que a prática possa ser realizada em qualquer lugar e em variados tipos de piso, com conforto, bem-estar e, principalmente, para evitar acidentes e lesões".


Dúvidas mais comuns sobre o tapetinho ideal para a prática da Yoga

A seguir, Sandra Regina – que oferece aulas de Yoga todos os sábados, às 11h, em seu perfil pessoal do Instagram (@sandrapaoleschi) – esclarece os detalhes mais importantes sobre o acessório.


É possível praticar sem nenhum tapete?

Sim, basta prestar atenção ao tipo de piso, explica a professora. Evite superfícies escorregadias ou inclinadas e dê preferência a espaços planos, para evitar lesões.


Uma toalha pode substituir o tapete?

Não é recomendável, por ser uma peça que não tem aderência ao chão. Quem utiliza a toalha para substituir o tapete ou ter mais conforto deve tomar muito cuidado, porque o risco de escorregar e causar lesões é alto. Já existem toalhas antiderrapantes, mas também não cumprem muito bem o papel dos tapetes. É melhor que sejam usadas em cima do mat, por ser uma medida mais higiênica", destaca Sandra Regina.


Qual o material ideal do mat?

O mais importante a ser observado na compra do tapete, é que seja feito com material antiderrapante. A escolha do material deve, sempre que possível, estar alinhada com a proposta da Yoga: reciclável e que não polua o meio ambiente.

Os mais indicados e que não agridem o meio ambiente são aqueles feitos de borracha natural e algodão. Os tapetes de PVC são os mais baratos no mercado, e, apesar de serem muito indicados aos iniciantes da prática, não são ecologicamente corretos. "O PVC não é indicado por ser considerado tóxico, além de ter baixa aderência. Contudo, já existe no mercado o PVC ecológico, que embora seja derivado do petróleo, não é composto por dioxinas e outras substâncias químicas nocivas à saúde e ao meio ambiente", explica Sandra Regina.


Quais são a espessura e o tamanho ideais?

De acordo com a profissional, a espessura deve ser suficiente para amortecer os choques. Para alguns tipos de Yoga, como Hatha, Pré-natal e Restaurador, por exemplo, recomenda-se um tapete entre 5 e 8 mm, que reduz o impacto entre o corpo e o solo, e, assim, protege a coluna e as articulações.

Para os praticantes de Ashtanga, Iyengar, Vinyasa e Hot Yoga, versões que trabalham mais resistência e equilíbrio, há que se privilegiar a estabilidade e a aderência, sendo aconselhável um tapete de espessura entre 3 e 5 mm.

Em relação ao tamanho, o ideal é que seja maior do que o corpo de quem vai praticar a atividade.


Como devo higienizar o meu mat?

Os processos de higienização sempre foram importantes, porém ganharam ainda mais força e visibilidade por conta do rigor exigido nesse período da pandemia do coronavírus. Portanto, é importante higienizar sempre após a prática, depois de cada uso. Existem produtos próprios para limpeza (basta pesquisar o produto ideal, de acordo com o material do mat), mas, como regra, pode ser lavado com sabão neutro, vinagre e água.


Posso compartilhar o meu mat com alguém?

É melhor não. Além do fator higiene, é importante que o tapete seja de uso individual, pelo vínculo estabelecido entre “quem pratica” e o acessório. "É junto com ele que o praticante está em busca de autoconhecimento, paz, equilíbrio e saúdes física, mental, intelectual e espiritual. O mat é o lugar de relaxamento do praticante em seu próprio espaço. Por isso, o ideal é que seja individual", conclui a professora Sandra Regina.

<